As Informações De Estudo De seis Experientes Concurseir

31 Mar 2019 17:26
Tags

Back to list of posts

<h1>As Tr&ecirc;s Not&iacute;cias Que Sustentam O Mercado Nesta Segunda-feira</h1>

<p>Escolher as mat&eacute;rias mais s&eacute;rias pro tipo de prova que voc&ecirc; deseja prestar &eacute; a dica de Let&iacute;cia Taschetto, de trinta e dois anos, aprovada no concurso da Receita Federal. Os concursos p&uacute;blicos previstos para esse ano dever&atilde;o abrir 215 000 vagas, segundo estimativa da Associa&ccedil;&atilde;o Nacional de Prote&ccedil;&atilde;o e Suporte aos Concursos P&uacute;blicos (Anpac).</p>

<p>&Eacute; uma sensacional not&iacute;cia num ano em que a economia, estagnada, vai ter que causar cortes nas equipes em organiza&ccedil;&otilde;es da iniciativa privada. Dessa maneira, a possibilidade &eacute; que 15 milh&otilde;es de pessoas se candidatem a estes postos. “No instante em que se fala de diminui&ccedil;&atilde;o de quadros nas companhias, &eacute; natural que as pessoas procurem algo que garanta sal&aacute;rio e maior seguran&ccedil;a”, diz Francisco Fontenelle, coordenador pedag&oacute;gico da LFG, faculdade preparat&oacute;ria de concursos, de S&atilde;o Paulo. Como Fa&ccedil;o Para Ingressar No Mestrado Ou No Doutorado? , a VOC&Ecirc; S/A ouviu seis profissionais que tornaram-se craques por este tipo de sele&ccedil;&atilde;o.</p>

<p>“Passar em concurso tem de ser projeto de vida”, diz Como Utilizar A Internet Em prol Da Sua Organiza&ccedil;&atilde;o de S&aacute;, de vinte e oito anos, analista do Tribunal Regional do Servi&ccedil;o (TRT) de S&atilde;o Paulo. Aprovado em 15 concursos, ele criou at&eacute; um aplicativo — que neste momento contabiliza 20 000 downloads — para repassar a outros candidatos suas t&eacute;cnicas de estudo. Ao longo dessa reportagem, ele e outros ex-concurseiros d&atilde;o informa&ccedil;&otilde;es pra que voc&ecirc; consiga transformar em realidade o sonho de ingressar no servi&ccedil;o p&uacute;blico.</p>

<p>Na sua estrat&eacute;gia, ele foi aprovado numa sele&ccedil;&atilde;o para t&eacute;cnico do TRT, vaga que exige somente grau m&eacute;dio. A nomea&ccedil;&atilde;o permitiu a Gustavo preparar-se pro concurso de analista do mesmo tribunal, que exige superior completo. “Estava concluindo a institui&ccedil;&atilde;o de ensino de direito e sabia que, se estivesse trabalhando na &aacute;rea, minha chance de aprova&ccedil;&atilde;o aumentaria muito”, diz. Durante o tempo que trabalhava como t&eacute;cnico, Gustavo garantia um sal&aacute;rio, ganhava a experi&ecirc;ncia que contaria pontos e ainda se familiarizava com o tema das provas. O engenheiro mec&acirc;nico Ka&iacute;que Knothe, de 26 anos, de Rio Claro, no interior de S&atilde;o Paulo, passou em primeiro lugar no concurso para auditor da Receita Federal, posto pro qual foi nomeado em novembro do ano passado.</p>

<p>At&eacute; tomar a decis&atilde;o de estudar pra concursos, Ka&iacute;que trabalhou como consultor de estrat&eacute;gia em uma organiza&ccedil;&atilde;o em S&atilde;o Paulo, contudo n&atilde;o gostou do emprego. Pra poder retomar os estudos, o engenheiro manteve-se no servi&ccedil;o e juntou uma reserva suficiente pra cobrir seus gastos pessoais por pelo menos um ano.</p>

<p>Depois, pediu demiss&atilde;o e voltou a residir com os pais, no interior, pra cortar custos e se esfor&ccedil;ar aos estudos em tempo integral — quatro horas no cursinho e mais sete em moradia. O planejamento financeiro permitiu que o engenheiro se concentrasse nos estudos sem a press&atilde;o das contas mensais.</p>

<p>“Ainda tive a vantagem de poder voltar a viver com meus pais, e desse modo n&atilde;o ter de pagar aluguel”, diz. Por&eacute;m a alternativa envolveu sacrif&iacute;cios. “Fiquei um ano sem adquirir outra coisa que n&atilde;o fossem livros e apostilas”, declara. Em sua pre&shy;pa&shy;ra&shy;&ccedil;&atilde;o pros &shy;con&shy;cursos, a ba&shy;charel em correto Ga&shy;briela Pereira Barbosa, de vinte e cinco anos, de Recife, Pernambuco, encontrou uma solu&ccedil;&atilde;o para esclarecer as perguntas que surgiam ao resolver perguntas de provas antigas ou de simulados. Ela formou um grupo de aux&iacute;lio com duas amigas que estudam pra concursos da mesma &aacute;rea.</p>
<ul>

<li>Aprendemos mais com a afli&ccedil;&atilde;o do que com o afeto</li>

<li>1 Cespe Concursos: O modelo distinto</li>

<li>Qual(ais) as marcas de Mel vendidas por voc&ecirc;s</li>

<li>R&uacute;ssia zoom_out_map</li>

<li>Conhecer o modo da prova</li>

</ul>

<p>“Nos encontramos todos os fins de semana para consertar as provas feitas e comentar as quest&otilde;es”, diz Gabriela. “Isso ajuda muito na fixa&ccedil;&atilde;o do conte&uacute;do, H&aacute; Correntes Favor&aacute;veis E Assim como Contr&aacute;rias de uma explica para a outra.” A t&eacute;cnica neste momento deu efeito: Gabriela foi aprovada no ano passado num concurso para procuradora federal, por&eacute;m nem sequer a legal not&iacute;cia a fez interromper os estudos.</p>

<p>“Meu intuito &eacute; o Minist&eacute;rio P&uacute;blico”, diz. Durante um ano, o hoje pro&shy;cu&shy;ra&shy;dor do estado do Rio de Janeiro, Gabriel Baltazar, de 26 anos, dormiu apenas 5 horas por noite. A agenda estendida era pra conseguir conciliar estudos com servi&ccedil;o. Das 5 &agrave;s oito horas, Gabriel estudava em casa. Depois, ia pro cursinho.</p>

Comments: 0

Add a New Comment

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License